BEM-VINDO AO BLOG DE ELIANA BELO
Arquivo virtual de História, Memória e Patrimônio de Indaiatuba (SP) e região.*

Este blog só é viável com o auxílio de vários colaboradores; seja um também, divulgando seu (s) texto (s) ou imagem (ns).

CITE A FONTE ao fazer uso de textos ou imagens publicados neste blog; grande parte do material foi cedido generosamente por colaboradores.

sexta-feira, 27 de abril de 2018

Aula: Patrimônio Arquitetônico Rural Paulista, Marcos Tognon no Museu Republicano de Itu/USP

  • Chácara do Rosário em Itu, sede construída em 1756


  • 05/05 - 9h30 às 11h - Aula: Patrimônio Arquitetônico Rural Paulista

    Ministrante: Prof. Dr. Marcos Tognon/ UNICAMP
    Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo de Ribeirão Preto (1988), mestrado em História da Arte pela Universidade Estadual de Campinas (1993) e doutorado em Storia Della Critica D'arte pela Scuola Normale Superiore (Pisa, Itália 2002). Atualmente é professor doutor da Universidade Estadual de Campinas, na área de História da Arte. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em História da Arquitetura e Urbanismo e Restauro dos Bens Culturais Edificados, atuando principalmente nos seguintes temas: História da Arquitetura no Brasil, História da Conservação do Patrimônio Histórico-Artístico, Crítica de Arquitetura, História das Técnicas construtivas históricas e Inovação Tecnológica do Restauro Arquitetônico. É coordenador do I.P.R. (Inovação e Pesquisa para o Restauro) da Agência de Inovação da UNICAMP e foi conselheiro do CONDEPHAAT (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico Artístico Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo), mandatos 2002-2004 e 2006-2008, além de presidente do CONDEPACC de Campinas em 2001. Atua na assessoria técnica para projetos e obras pelo Programa Inova nos Municípios. Foi coordenador do Centro Cultural de Inclusão e Integração Social da UNICAMP, na Estação Guanabara, Campinas, entre 2006-2008 e 2010-2012.
    Local: Auditório do Centro de Estudos do Museu Republicano de Itu/USP. Rua Barão de Itaim, 140, Centro, Itu/SP. 

    Esta aula faz parte da segunda edição do Curso: Patrimônio Cultual e Inventários Participativos, organizado pelo Setor Educativo do Museu Republicano de Itu/USP e a Diretoria de ensino de Itu/ Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, cujo objetivo consiste em estabelecer reflexões sobre Patrimônio Cultural Paulista e discutir ações para sua valorização e preservação junto à comunidade. Nosso intuito consiste em estimular os participantes a pensar além dos tombamentos e registros institucionais, ressaltando, por outro lado, as experiências vividas pelas comunidades. 

    A aula é aberta aos inscritos no curso e para os interessados no tema específico. 

    Informações e inscrições:

    11 40230240, menu 3 - Setor Educativo do Museu Republicano de Itu/ USP
    Rua Barão de Itaim, 67, Centro, Itu/SP





quarta-feira, 25 de abril de 2018

Prêmio Nabor tem audição sexta, 27

Fundação Pró-Memória, realiza na sexta-feira, dia 27, às 19h30, no Ciaei (Centro, Integrado de Atendimento à Educação de Indaiatuba), a audição final do 17º Prêmio Nabor Instrumentista. O evento possui entrada gratuita e será apresentado pelo produtor e apresentador do Programa Chorinho Brasil, na Rede Boa Nova de Rádio, João Tomás do Amaral. O show de encerramento contará com o vencedor da última edição do prêmio, o clarinetista Anderson Menezes, acompanhado pelos músicos Arnaldo Galdino da Silva, Alcides José Prado e João Francisco Correia, formando o ‘Quarteto Nabor’.

A comissão julgadora do tradicional concurso foi composta pelos profissionais Antônio da Cunha Penna, Fred Carrilho e Marcelo Antunes Martins. A seleção aconteceu nos dias 10 e 12 de abril. Os dez candidatos finalistas foram: Rodrigo Eisinger, com o instrumento Gaita Cromática, de Campinas; Maurício Reis Guil, com o instrumento Violão, de Campinas; Jussan Cluxnei Canguçu, com o instrumento Clarone, de São Paulo; Gilson da Silva Brito, com o instrumento, Violão, de São José da Lapa – MG; Manoel Messias Costa de Brito, com o instrumento, Cavaquinho, de São Paulo; Ruan Santos de Souza, com o instrumento Violão, de Salvador; Gustavo Aliandre de Almeida, com o instrumento Acordeon, de Blumenau – SC; Wanessa Nunes Dourado, com o instrumento Violino, de São Paulo; Danilo Agostinho, com o instrumento Clarinete, de Marília e Waldir Barbosa da Silva Junior, com o instrumento, Violão, de São Paulo.

Esta edição do evento contou com 48 inscritos de diversos estados: Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul. Rio Grande do Sul, Bahia, Rio de Janeiro e Santa Catarina.

O prêmio para o melhor músico será de R$ 8.000,00; o segundo colocado receberá R$ 6.000,00; o terceiro R$ 5.000,00; o quarto R$ 4.000,00, o quinto receberá R$ 2.000,00 e do sexto ao décimo colocado R$ 500,00. Os candidatos inscreveram-se individualmente uma única vez com duas músicas, uma de Nabor Pires Camargo e outra de livre escolha, podendo ser autoral, e que tenha duração máxima de cinco minutos.

Crédito: @Vip & Life 

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Rua José Silvio Minioli

  
JOSÉ SILVA MINIOLI nasceu em Indaiatuba no dia 17 de maio de 1912, filho de Annunciata Tanclér Minioli e Ociamo Minioli. Neto de Vicente Tanclér, que foi contratado, em 1887, para fazer 17 (dezessete) lampiões para assentar nas esquinas do centro urbano de Indaiatuba pelo preço de 28$000 cada unidade, incluindo o poste. O ofício dele era de “folheiro” porque trabalhava com “folha de flandres” (zinco). Vicente Tanclér era Aferidor de Pesos e Medidas, cargo que seria ocupado, mais tarde, por Randopho Moreira Fernandes.


Irmãos nascidos em Indaiatuba: Geraldo Minioli, Lázaro Minioli, Alberico Minioli, Iraídes Minioli, Elvira Minioli, Doracy Minioli. A irmã Elisa Minioli Pires foi a única que não nasceu em Indaiatuba.

Faleceu em Indaiatuba, aos 67 anos, no dia 05 de junho de 1979, vítima de AVC.

Marceneiro e carpinteiro. Consta que chegou a fazer pequenos reparos de funilaria, inclusive nos primeiros veículos de Indaiatuba, juntamente com outro oficial deste serviço chamado Francisco D´Alessandro.

Residiu em Indaiatuba durante 67 anos e cursou 1 º ano do ensino primário no então Grupo Escolar Indaiatuba.

Foi casado com Clélia Minioli com quem teve os filhos Mariza MinioliTerezinha de Fátima Lima, adotada, filha biológica Conceição Alves de Lima (atualmente residente no Jardim Morada do Sol). Terezinha de Fátima foi adotada por Elisa Minioli (a quem ela chama de “tia”) e criada efetivamente por Annunciata, a quem ela chamava de “avó”. José Silva Minioli foi a figura que ela escolheu e admira como “pai”. Terezinha de Fátima teve um irmão biológico que também foi colocado para adoção. Na época, foram entregues para as Irmãzinhas Carmelitas (gestoras do HAOC). Ali, os irmãos ficaram por um tempo, quando então Terezinha foi adotada pela família Minioli e o irmão foi ‘criado’ por padres (Pe. Xico e Pe. Álvaro).

Trabalhou com Guerino Lui, com quem aprendeu muitas habilidades. Foi artesão profissional. Fazia tampas de madeira para vasos sanitários e nas horas vagas, fazia artesanalmente jogos de xadrez e peões que faziam a alegria da criançada.
Jogou no  Esporte Clube Primavera, onde foi jogador de futebol.

Filho de tradicionais famílias indaiatubanas, o pai de José Silva Minioli, participou da Corporação Musical Lira Indaiatubana como baterista, em cuja regência se notabilizou o Maestro Fávero, figura estimada da localidade, que foi progenitor do mui querido e ilustre professor Flamínio Fávero. Além dele, também faziam parte dessa corporação: Esterlino Minioli que foi mais tarde seu regente, Rêmulo Zoppi, Pasqual Bofa e o grande maestro Luiz Baldi.

Seu irmão GERALDO MINIOLI, junto com Felício Borguezani, Miguel Carotti, Archimedes Prandini, Octacílio Groff, Francisco Borguezani, Arthur Soares Siqueira, Moacyr Guimarães, Moacir Martins (o menino), Fortunato José Deltregia, Elzira Ferrarezzi, Glória Ferrarezzim Geny Ferrarezzi, Walfrido Miguel Carotti (no colo de Elzira), participou do grupo teatral local denominado GREMIO DRAMÁTICO BANDEIRANTES.




Vários membros da família Minioli participaram do time de futebol chamado Indaiatubano, formado pela “turma do Chiquinho Boticário”, da Farmácia Candelária, que além dos Minioli, também tinha membros das famílias Lisoni, Nunes Beccari, Milani, Zoppi. O time tinha uma quadra gramada, cercada por pinhão paraguaio na antiga Rua da Palha (atual Pedro Gonçalves) na quadra entre rua 11 de Junho, Candelária e 24 de Maio, propriedade que mais tarde foi do Vicentão Bernardinetti.

Entre suas habilidades como artesão, consta que fazia o “pio de passarinho”, uma espécie de assovio de madeira que a criançada usava para atrair pássaros nas caçadas.




O vereador Hélio Ribeiroapresentou projeto para atribuir o nome de José Silvio Minioli  à até então rua 10 (dez), do loteamento "Jardim União" em 23 de março de 2018.

quarta-feira, 11 de abril de 2018

LANÇAMENTO DO LIVRO: HISTORIA DE INDAIATUBA.



Crédito: Mirante Vídeo Produções   
Cel: 19 9 9779-2171. 
Fixo 19 3875-9206.         
 email: mirante_video@hotmail.com.

Livro sobre história de indaiatuba
lançamento de livro sobre história de indaiatuba
livro de eliana belo silva
livro do geiss

terça-feira, 10 de abril de 2018

Museu Republicano de Itu/USP promove "Semana da Convenção"



Na Semana da Convenção o Museu Republicano de Itu/USP preparou algumas atividades.

DATA: 17/04 – PALESTRA: GALERIA DE RETRATOS DOS CONVENCIONAIS REPUBLICANOS DE 1873
Horário: 19h
A palestra abordará a dinâmica e a formação da Galeria de Retratos a óleo dos 133 Convencionais de 1873, um dos primeiros projetos para a constituição da área expositiva do Museu Republicano.

Ministrante: Dra. Anicleide Zequini/ Museu Republicano de Itu/USP. Graduação (Bacharelado e Licenciatura) em Sociologia (IFCH/UNICAMP, 1983), Mestrado em História (IFCH-DH/UNICAMP, 1992), Doutorado em Arqueologia (MAE/USP, 2007).

Nesse mesmo dia, haverá o lançamento on line do Caderno Pedagógico Galeria de Retratos dos Convencionais Republicanos de 1873, de autoria de Anicleide Zequini no site do Museu Paulista/USP – www.mp.usp.br.

DATA: 18/04 – RODA DE CONVERSA: QUE REPÚBLICA É ESSA? DOS CONVENCIONAIS AOS DIAS DE HOJE
Horário: 19h
Nesta roda de conversa, os historiadores, a partir de suas experiências na educação, refletirão sobre o conceito de República empreendido pelo Partido Republicano Paulista e sua implicação no processo de Proclamação da República, bem como na luta pela cidadania e direitos democráticos no novo regime até os dias atuais.  A roda de conversa será mediada pela supervisora do Museu Republicano de Itu/USP, Profa. Dra. Maria Aparecida de Menezes Borrego (Docente/ Museu Paulista).
Convidados:
Andrea Trus - Educadora, licenciada em História pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Pós Graduanda em Planejamento Educacional em Políticas Públicas e em Cultura e Arte Barroca pela UFOP.  Lecionou como professora de História no Ensino Básico/ Ensino Superior. Atualmente leciona no Cursinho Popular de Itu.  

Erik Fernando Tavernaro - Historiador formado pela UNESP, desenvolveu pesquisas relacionadas à estruturação e atuação do Partido Republicano Paulista (PRP) no interior de São Paulo, com destaque para o Clube Republicano de Itu, durante o Movimento Republicano. Graduado em Cinema na Faculdade de Artes do Paraná (FAP).

Gerson Luiz Pacheco Pinto – Historiador formado pela UFOP, especialista em Docência do Ensino Superior pelo CEUNSP, atua como educador há 20 anos.

Marcelo Leite – Historiador formado em História pela UNESP em 2014. Atualmente é Mestrando do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), desenvolvendo pesquisa sobre o Ensino de História e Museu: os usos do Museu Republicano "Convenção de Itu" em aulas de História (1990-2012).

Nathalia Fernandes Vieira -  Mestra em História pela Universidade Estadual de Ponta Grossa. Bacharela e Licenciada em História pela Universidade de São Paulo. Atua como professora de História do Ensino Fundamental e Médio há 5 anos. É coordenadora do Cursinho Popular de Itu.

Informações
Museu Republicano de Itu/USP. Rua Barão de Itaim 67, Centro, Itu/SP.
11 40230240, menu 3, Serviço Educativo ou pelo e-mail: edu.mrci@usp.br
Atividade Gratuita
Não há necessidade de inscrição prévia.



segunda-feira, 2 de abril de 2018

Livro 'História de Indaiatuba na perspectiva biográfica de Antônio Reginaldo Geiss"


LOCAIS DE VENDA

Biblioteca Pública Rui Barbosa (Rua Oswaldo Cruz 1015 do lado da escola Dom José)
Arquivo Municipal (Av. Jácomo Nazário 1046)
Livraria Laselva
Silva & Penna
Banca do Jair



Nascido para ser um livro de memórias, acabou sendo uma obra de História. 

São 27 capítulos, 
mais de 400 páginas, 
com referências de 11 periódicos locais, 
mais de 50 jornais e revistas estaduais e nacionais, 
mais de 100 livros e outros documentos, inclusive fontes primárias. 

Você conhecerá a influência da maçonaria e dos clubes de serviço (Rotary e Lions) na história política local, incluindo o golpe militar de 64 e o impeachment de um prefeito. 

Conhecerá os ciclos econômicos (açúcar, café, batata, tomate e uva) até o desenvolvimento industrial que viabilizou o Jardim Morada do Sol. 

Conhecerá a história dos cinemas, dos cemitérios, dos largos, praças, clubes, Câmara Municipal e das primeiras escolas. Conseguirá reconhecer nas memórias do biografado fatos relacionados à imigração, república, coronelismo (inclusive na Helvetia e Itaici) varguismo, estadonovismo, ditadura militar. Vai conhecer a história do Primavera e das grandes rivalidades políticas nascidas de suspeitas de corrupção. 

Verá o quanto adecisão de um prefeito em se afastar do catolicismo e se aproximar do protestantismo influenciou nossa Indaiatuba. 
Conhecerá as maiores tragédias do século XX em nossa cidade e suas grandes festas populares. Através de uma vida, de uma família e da relação com o trabalho, você, em algum momento, se reconhecerá nas memórias do Geiss e na História de nossa cidade.


FICHA TÉCNICA:

Título do livro: História de Indaiatuba na perspectiva biográfica de Antonio Reinaldo Geiss

Autora: Eliana Belo Silva

Revisão: Marcos Kimura

Entrevistas: Eliana Belo Silva, Antonio da Cunha Penna, Marcos Kimura, José Luis Sigrist (in memorian) e Sonia Maria Fonseca

Entrevistado: Antonio Reginaldo Geiss

Colaboradores: Angela Tanclér (in memorian), Márcio Rogério Vieira de Almeida, Fernando Henrique Peres Correr, Isabella Cunha e Walter Nicolucci

Editora: Gráfica Vitória Ltda. (3935-8090 - Indaiatuba)

Design e Diagramação: Ademilson Francisco Couto

R$ 60,00
(no dia do lançamento será vendido por R$ 50,00)




Lançamento: Dia 17 de abril, terça-feira
19:30
Indaiatuba Clube 
(Entrada franca - aberto inclusive para não-sócios que irão ao evento)


Apoio:


















Vendas no dia do lançamento ou contato através de elianabelo@terra.com.br
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

POSTAGENS MAIS VISITADAS NA ÚLTIMA SEMANA

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

VISITANTES NO ÚLTIMO ANO

Indaiatuba - A cidade que tinha um urubu de estimação

Indaiatuba - A cidade que tinha um urubu de estimação
Ave silvestre foi domesticada e atualmente voa livremente pela cidade, pousando em logradouros públicos, tornando-se conhecida e querida pelos indaiatubanos. Ajude a preservar!

SEGUIDORES