BEM-VINDO AO BLOG DE ELIANA BELO
Arquivo virtual de História, Memória e Patrimônio de Indaiatuba (SP) e região.*

Este blog só é viável com o auxílio de vários colaboradores; seja um também, divulgando seu (s) texto (s) ou imagem (ns).

CITE A FONTE ao fazer uso de textos ou imagens publicados neste blog; grande parte do material foi cedido generosamente por colaboradores.

domingo, 4 de março de 2012

Comemorações de 40 anos da escola Hélio Cerqueira Leite – 15/07/2010

texto de Maria Luisa Costa Villanova,
especialmente preparado para o 40o. aniversário do "Hélio"



Crédito da imagem: Osvaldinho Crocco




O Professor Hélio Cerqueira Leite nasceu em Brotas em 22 de novembro de 1917, 13º filho de Raul Cerqueira Leite e de dona Adelina Ester de Mendonça, fez seus estudos no Instituto José Manuel da Conceição em Jandira.



Formou-se pela Faculdade de Teologia da Igreja Presbiteriana, em Campinas.


Foi pastor em Jaboticabal e em Mirassol (onde fazia parte do Rotary Club) e e em Indaiatuba exercia as funções de co-pastor, era também professor da Escola Dominical, na classe “Rev. Benedito Manuel de Carvalho” e também regente do coro, atividades dignas de respeito e admiração, destacando-se pelos seus nobres gestos de humanidade.

Segundo o jornal Tribuna de Indaiá, de domingo 05 de julho de 1970, as atividades que o professor Hélio mais valorizava eram: Família, Igreja, Escola.

Foi titular da cadeira de Português, em várias cidades paulistas, sendo transferido no dia 07 de julho de 1968, por escolha no concurso de Remoção, para o Colégio Estadual Dom José de Camargo Barros, de Indaiatuba, onde lecionou até seu falecimento.

Era casado com dona Anésia Steffen Leite, com quem teve 05 filhos: Hélio, Cristiane, Maria Augusta, Ana Lúcia e Carlos Eduardo.

Morreu na 4ª feira, 01 de julho de 1970 às 18h20 no hospital Irmãos Penteado, em Campinas, vítima de infarto agudo do miocárdio, foi velado dia 02 na Igreja Presbiteriana de onde o féretro saiu as 16 h para o nosso Cemitério Municipal.



Querido por seus colegas, no livro de comemoração do 20º aniversário do então G.E. “Dom José de Camargo Barros” (1970) na página 45, a também professora de português dona Esmeralda Martini Paula deixa uma poesia “Mensagem à memória de Hélio Cerqueira Leite” e no jornal comemorativo do Jubileu de Prata em junho de 1975 novamente lembrado com as seguintes palavras de J. B. de Macedo:

“ Na diretoria do 2º Ginásio Estadual de Indaiatuba, o retrato de seu patrono: Hélio Cerqueira Leite, no mesmo prédio onde trabalhou nos tempos do “D. José”. O Prof. Hélio veio para Indaiatuba já com a saúde abalada. Deixara as funções de pastor, continuando, porém, na sua igreja, a cuidar das aulas de religião, e a reger o coral. Trabalhou até o fim, sem queixar-se de nada, e sempre sorrindo para os amigos. Muitas vezes nossas conversas, nos intervalos, tomavam o rumo de brincadeiras fúteis, vazias. O Hélio, provavelmente aflito pela moléstia, talvez cansado ou indisposto, conseguia rir conosco, fraternalmente. Uma tarde cantou, para alguns colegas, acompanhando-se ao violão, a canção de Carlos Gomes: “Quem sabe?”. Era um homem de fé, de cultura, de energia inquebrantável.”




Sobre a Escola

A construção de um prédio próprio sempre foi uma luta para todos, para os estudantes indaiatubanos da década de 70 essa luta era maior, já que o então Ginásio Hélio, era a única escola na cidade que não funcionava em seu próprio terreno.

O 1º Ginásio de Indaiatuba, hoje Escola Estadual Dom José funcionava no prédio onde está funcionando atualmente a FIEC, com mais de 1500 alunos em quatro períodos, razão pela qual havia a necessidade de um 2º ginásio. Este então, foi criado pelo Decreto nº 52.374 de 31/01/1970, pelo então Governador Dr. Roberto Costa de Abreu Sodré.

No dia 13 de fevereiro de 1970 às 19 horas, realizou-se a instalação do então 2º Ginásio no prédio do Grupo Escolar “Profª Áurea Moreira da Costa” com a presença do então prefeito Sr. Mario Araldo Candello e a Profª Marina Dias de Carvalho Macedo como diretora da nova escola.

Foto 1º desfile da escola em 1º de maio de 1970

Em 1971, com o crescimento no número de alunos, o ginásio foi transferido para o prédio do Grupo Escolar Profª Helena de Campos Camargo, segundo relatório do prefeito, o prédio recém inaugurado, ofereceria melhores condições de ensino.

31/01/1971

Ainda neste ano, a 6 de julho, o Governador assinou lei dando ao 2º ginásio o nome de “Prof. Hélio Cerqueira Leite” e 11 de agosto, dia escolhido para ser o “Dia de Escola” com a inauguração de retrato do Patrono, com a presença do Prefeito Sr. Mário Araldo Candello e Sr. Anésia Cerqueira Leite.

11/08/71 - Inauguração com foto do Patrono



No ano seguinte, 1972, o ginásio quase foi integrado ao “Helena”, e portanto, extinto, mas a luta da então diretora, do Prefeito, professores, autoridades municipais e estaduais, conseguiram que o Ginásio passasse a ocupar o prédio da rua Alberto Santos Dumont que o “Dom José” desocupou, para ocupar prédio próprio na Avenida Presidente Kennedy.
São feitas melhorias no prédio que o “Hélio” agora ocupa, como a construção de uma quadra de futebol de salão, recebimento de material escolar e esportivo e a praça defronte a escola, no início da Av. Presidente Vargas é melhorada e arborizada.

Em 1973, em seu terceiro prédio, com 544 alunos em 10 salas de 5ª a 7ª séries aconteceu a remoção de seu primeiro diretor efetivo, o Prof João Baptista de Macedo.

No ano de 1976, do dia 28 de janeiro, recebe autorização para ministrar Ensino Fundamental, mesma data em que passa de Grupo Escolar para Escola Estadual de 1º Grau.

No dia 11 de agosto de 1978 (Dia da Escola) deu-se as 8 h. a solenidade do seu 8º aniversário, com palavras da diretora Profª Onesi Magnuson Mendes, muitos alunos e professores da cidade.


11/08/1978
 
 
Somente em 26 de dezembro de 1988, conforme certidão expedida em 13/12/1988 pela Prefeitura Municipal de Indaiatuba, o antigo sonho acontece: foi construído o prédio da EEPG Hélio Cerqueira Leite, num terreno de 3.040,93 m², no loteamento denominado Parque Boa Esperança, na rua Sorocaba, com 12 salas de aula, 01 sala de aula prática, 01 almoxarifado, 01 sala para secretaria, 01 sala de professores, 01 sala para coordenador, 01 sala para diretor, 01 sala de uso múltiplo, 01 sala para centro cívico, 01 sala para assistente educacional, 04 sanitários, 02 vestiários, cozinha, cantina, 04 depósitos, galpão e casa de caseiro.

No dia 08 de agosto de 1989 é publicado no Diário Oficial autorização para Ensino Médio.

A escola teve muitos professores e funcionários nesses 40 anos, alguns:






 
Passou por diversas etapas, como, por exemplo, Escola Padrão:

 

Sempre com os alunos trabalhando bastante:





Os Professores também, sempre empenhados:


 Às vezes mais bem “agitados”:



Às vezes, nem tão confortáveis:


Passando o prédio (antigo - atual FATEC) por várias reformas:


Janeiro de 1980




Mas, chegamos no que somos hoje, comemorando, juntos - esses 40 anos de muita luta:



E esperando sermos lembrados nas comemorações de 50...60...70...80... anos.


“Um professor influi para a eternidade; nunca se pode dizer até onde vai sua influencia.”
(Henry B. Adams)


.....oooooOooooo.....

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

POSTAGENS MAIS PROCURADAS - Última semana

Entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

.

Indaiatuba - A cidade que tinha um urubu de estimação

Indaiatuba - A cidade que tinha um urubu de estimação
Ave silvestre foi domesticada e atualmente voa livremente pela cidade, pousando em logradouros públicos, tornando-se conhecida e querida pelos indaiatubanos. Ajude a preservar!

SEGUIDORES

Quantas pessoas precisam receber um órgão doado?

VISITANTES NO ÚLTIMO ANO