BEM-VINDO AO BLOG DE ELIANA BELO
Arquivo virtual de História, Memória e Patrimônio de Indaiatuba (SP) e região.*

Este blog só é viável com o auxílio de vários colaboradores; seja um também, divulgando seu (s) texto (s) ou imagem (ns).

CITE A FONTE ao fazer uso de textos ou imagens publicados neste blog; grande parte do material foi cedido generosamente por colaboradores.

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

A FESTA INDAIATUBANA PARA OS AVIADORES DO JAHU

Em agosto de 1927 uma notável festa foi realizada em Indaiatuba em homenagem aos três tripulantes do voo feito no hidroavião Jahu Savoia-Marchetti S.55, que pioneiramente atravessou o Atlântico Sul. Foi um voo histórico, o primeiro sem escalas de Gênova para Santos, e os quatro tripulantes, João Ribeiro de Barros (piloto), João Negrão (copiloto), Vasco Cinquini (mecânico) e Newton Braga (navegador) foram festejados e noticiados em várias cidades do país, inclusive em nossa cidade.

SINOS, TIROS E TE-DEUM

Assim que o Jahu partiu de Gênova, nossa cidade já começou a se preparar para a festa de aterrisagem que aconteceu na então capital brasileira, o Rio de Janeiro. Quando ocorreu o pouso, os sinos da Matriz Nossa Senhora da Candelária repicaram festivamente, teve uma salva de 21 tiros e a fábrica de artefatos de madeira Grichet, a maior da cidade até então, apitou sua sirene por muitos minutos. No mesmo dia, as 18 horas, a população foi para a Matriz rezar um solene “Te-déum”.

DESFILE CÍVICO

Após a cerimônia religiosa, a Corporação Musical 7 de Setembro comandada pelo Maestro Boffa, saiu da Matriz em passeata pela cidade, dando e recebendo simbolicamente muitos ‘vivas’ ao Brasil, ao piloto Barros e seus companheiros do Jahu.
As crianças do pequeno centro urbano de então, que contava com pouco mais de sete mil habitantes e que estudavam no Grupo Escolar que ficava do lado da Matriz, foram preparadas para acompanhar o desfile antecipada e caprichosamente pelo professor Paulo Moreira da Silva. Levaram, em marcha e atrás da banda, lanternas multicores e cartazes com dedicatórias aos ‘quatro azes’. O desfile subiu a Rua Candelária e foi até o prédio da Câmara e Cadeia, que ficava no centro da Praça Prudente de Moraes.
DISCURSOS UFANICOS

Em frente ao prédio público, teve discursos ufânicos: inicialmente o professor João Pinto Corrêa e em seguida o prefeito Major Alfredo de Camargo Fonseca, que foi prefeito de Indaiatuba durante 30 anos, 05 meses e 8 dias. Segundo o Jornal Correio Paulistano, que narrou essa festa em sua edição de 10 de agosto de 1927, o prefeito Fonseca fez um discurso que mais pareceu uma oração em forma de hino para a nossa pátria. Terminado o discurso do prefeito, a Banda tocou o Hino Nacional para, em seguida, tomar a palavra o Sr. Ulysses Almeida Esmeralda.

E SEGUE A BANDA...

O cortejo seguiu, então pela rua Candelária até a sede do único jornal local. Em nome dele, quem discursou foi o professor Paulo Moreira da Silva, a quem o diretor do periódico, Lili Escobar, agradeceu.
O cortejo da banda seguido por crianças e populares aclamando os heróis aviadores foi então até a casa de José Tanclér, que na ocasião era Juiz de Paz, na esquina da rua 15 de Novembro com a rua Siqueira Campos (onde hoje é a Caixa Econômica Federal e até o início do ano era a Foto Hugo). O sr. Ângelo Bruni tomou a palavra e deu seguidos “vivas” para o Brasil, acompanhado da pequena multidão formada, inclusive, pelos operários da fábrica do Sr. José Grichet, que havia dispensado todos os operários para o evento, assim como muitos dos comerciantes e negociantes do centro, que fecharam as portas para que todos pudessem aclamar os aviadores brasileiros.

... ATÉ O BAILE


Após os últimos discursos, a população seguiu para a sede do Cine Recreio, onde a festa seguiu até tarde da noite, em animado baile.

Texto de Eliana Belo Silva
Originalmente publicado no Jornal Exemplo de 18/11/2016.




Jornal "A Rua" 21/10/1926


Jornal " A Manhã" 11/11/1926

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

POSTAGENS MAIS PROCURADAS - Última semana

Entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

.

VISITANTES NO ÚLTIMO ANO

Indaiatuba - A cidade que tinha um urubu de estimação

Indaiatuba - A cidade que tinha um urubu de estimação
Ave silvestre foi domesticada e atualmente voa livremente pela cidade, pousando em logradouros públicos, tornando-se conhecida e querida pelos indaiatubanos. Ajude a preservar!

SEGUIDORES