BEM-VINDO AO BLOG DE ELIANA BELO
Arquivo virtual de História, Memória e Patrimônio de Indaiatuba (SP) e região.*

Este blog só é viável com o auxílio de vários colaboradores; seja um também, divulgando seu (s) texto (s) ou imagem (ns).

sábado, 25 de junho de 2011

Rodoviária de Indaiatuba


O Terminal Rodoviário de nossa cidade foi projetado pelo arquiteto Shinobu Kuze, a pedido da Prefeitura Municipal, durante a administração do prefeito Clain Ferrari.

A obra foi iniciada em agosto de 1982, na Praça do Rotary, em uma área de aproximadamente 6.800 metros quadrados, tendo sido concluída em dezembro de 1983.

Logo após a construção, a Prefeitura contratou uma empresa que passou a se responsabilizar pela administração do terminal rodoviário: a Socicam, grupo que tomava conta também de outras rodoviárias, que passou a ter como atribuições como disciplinar os horários de trânsito em conjunto com a principal transportadora que prestava serviço em Indaiatuba, a Viação Bonavita, que inclusive começou sua história transportando pessoas do Descampado (atual Viracopos) para Campinas.

Até então, a Viação Bonavita era a única operadora que fazia viagens de Indaiatuba para os arredores, fundamentalmente para São Paulo, Viracopos, Salto, Itu e Campinas, esta última de onde os indaiatubanos faziam baldeação para outras cidades.




Charge que eu ganhei de um aluno - Messias Marcelo - em 1987, quando dava aulas na FIEC


Assim que a nova rodoviária foi inaugurada, outras transportadoras começaram a prestar serviço aqui, mas sem concorrer com os trajetos da Viação Bonavita, o que acontece até hoje. Esse monopólio acaba muitas vezes sendo criticado pelos usuários correntes, aqueles que precisam dos serviços de transportes todos os dias; que entedem que uma concorrência melhoraria a qualidade dos serviços prestados, cujo maior problema é a supelotação, principalmente para que faz uso em horários de pico para se deslocar para cidades vizinhas para trabalhar.

Entre os novos itinerários disponibilizados após a inauguração, houve uma inovação: a implementação de transportadoras que passaram a fazer a rota Indaiatuba- Paraná , Paraná- Indaiatuba. Isso foi um reflexo do grande surto migratório de paranaenses que vieram para Indaiatuba desde a década de 1970, pessoas essas que praticamente foram os pioneiros de um populoso bairro de trabalhadores de nossa cidade: o Jardim Morada do Sol.


Imagem cedida por Willian Gubel, originalmente disponibilizada no grupo Dinossauros de Indaiá


O projeto original da Rodoviária, que até hoje não foi estruturalmente modificado, conta com uma área construída de 2.475 m2, dividida em 3 blocos.

O primeiro contém as salas e fica praticamente no centro do terminal. Na época de sua inauguração, duas delas eram de transportadoras: uma para a Viação Bonavita e outra para a que fazia o trajeto Indaiatuba- Paraná , Paraná- Indaiatuba; uma sala era um posto telefônico, outra era um centro de operações da polícia e outra era para informações.

O segundo bloco possui salas para lojas. Desde sua inauguração, os comércios ali implementados pouco mudaram: uma banca de jornal, lanchonete, souvenirs, confecções, cabeleireiro.

O último bloco foi planejado para funcionar a sala da administração e controle, almoxarifado, sanitários feminino e masculino.

O projetista teve a percepção de integrar o transporte público de ônibus com o de taxi e também fez conter no projeto uma área de estacionamento onde os taxistas ficam estacionados dentro do complexo, integrando assim, de forma completa, estes dois meios de transportes. Isso facilita - muito - a vida dos passageiros, que mudam de um meio para o outro abrigados de intempéries.

No entorno de tudo isso e também de forma abrigada, ficam as áreas de espera e circulação, embelezadas por um jardim, que com suas árvores acolhem um pequeno estacionamento, onde passageiros entram e saem de automóveis de forma ligeira e segura.

Finalmente há as plataformas de embarque e desembarque. Somam-se oito no total, que na ocasião de sua inauguração, estavam cravadas em um excelente e estratégico local, de fácil acesso à Avenida Presidente Vargas e à Avenida Visconde de Indaiatuba - também na época recém construída pelo prefeito Clain Ferrari -, sendo que ambas facilmente ligavam-se à Rodovia Santos Dumont. Hoje, após 27 anos da festiva inauguração, o trânsito no entorno ficou complicado e com o crescimento da cidade do lado Sul, já existe há vários anos uma demanda de construção para um outro terminal, que acolha as necessidades dos usuários que moram nessa “nova” região da cidade, que possui, inclusive, um maior índice habitacional.

Na citada festiva inauguração, o primeiro ônibus que chegou na rodoviária, foi recebido com pompa: representando os demais da categoria, o motorista que o conduziu recebeu um cartão de prata. No ano seguinte à inauguração, a média de embarques diários variava entre 2800 à 3000 pessoas.

Na época da construção, o número divulgado do investimento na obra foi de CR$ 109.268.000,00, ou seja, cento e nove milhões e duzentos e sessenta e oito mil cruzeiros.

.....oooooOooooo.....

Atualmente, a Rodoviária de Indaiatuba tem um site. Visite-o aqui.

.....oooooOooooo.....



A imagem abaixo foi postada por Emil Geiss no grupo virtual do Facebook Dinossauros de Indaiá.

É o registro fotográfico da primeira "transportadora" urbana que tivemos em Indaiatuba, da família Brunetti.

O ponto era na rua Bernardino de Campos, em frente à praça do Centro da Cidade.


Achiles Brunetti e Zuleika Brunetti na "jardineira" que fazia translado de indaiatubanos.
Repare a identificação: Campinas - Indaiatuba - Itu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre Indaiatuba

O município de Indaiatuba situa-se na região sudeste do Estado do São Paulo, pertencendo à região administrativa de Campinas está localizado entre as coordenadas geográficas de: 23° 05' 24" de Latitude Sul e 47° 13' 04" de Longitude Oeste a uma altitude média de 624 m.

O relevo do município é uma depressão relativa, pois é mais baixo que as áreas adjacentes. Dominam as formas de planície aluvial, colinas, morros e morrotes.

A média anual de seu Índice Pluviométrico fica entre 1.110 e 1.300 mm; sendo 30 mm no mês mais seco e 300 mm no mais chuvoso.

O clima é Tropical, aproximando-se do tipo temperado, temperatura média anual: 22°C, de inverno seco e verão chuvoso.

Os ventos predominantes são sul, seco e frio, e o noroeste, portador de chuvas.

A área total calculada para o município de Indaiatuba é de 312,049 km2, com uma população de 201.619 habitantes, Densidade Demográfica 646,11 Hab./km2.

A Taxa Geométrica de Crescimento Anual da População em 2000/2010 foi de 3,22 % a.a. e o Grau de Urbanização 98,99 %. (IBGE censo 2010).

Faz limites ao norte com Monte Mor e Campinas; ao Sul, com Salto e Itu; ao leste, com Itupeva e a oeste, com Elias Fausto.

Principais elementos de sua hidrografia: rios Jundiaí, Piraí e Capivari-Mirim; Córrego Barnabé, Córrego Barrinha, Ribeirão Santa Rita, Ribeirão da Grama, Córrego Cachoeira, Córrego Brejão, Ribeirão Buru e Córrego Mato Dentro.

A área urbana do município de Indaiatuba está dividida em 203 bairros, apresentando 133.606 m2 de áreas verdes públicas, 335.667 m2 de praças.

três Áreas de Preservação Ambiental (APP’s) com 5.504.665 m2 sendo o Parque Ecológico a mais importante por cruzar a cidade tendo aproximadamente 10 km lineares e 2 milhões de metros quadrados.

De forma geral, todas estas áreas têm sido utilizadas amplamente pela população regional ao longo de sua História, tornando a cidade muito aprazível ao visitante.

Fonte: Imprensa Oficial do Município n. 873 de 27.05.2015

O Crime do Poço - Leia todos os capítulos nos links abaixo

O Crime do Poço - Leia todos os capítulos nos links abaixo
Uma história que comoveu Indaiatuba em 1907 e foi desvendada por motivo que a razão não explica!

Museu Ferroviário de Indaiatuba

Museu do Casarão Pau-Preto

Pelo reconhecimento das diferenças que existem entre nós. Só assim teremos oportunidades iguais!

Pelo reconhecimento das diferenças que existem entre nós. Só assim teremos oportunidades iguais!
Datas alusivas despertam a consciência pois estimulam a reflexão. Não faça uso da borracha preconceituosa que tenta apagar as diferenças. Pelo contrário! Reconheça as diferenças e valorize cada diversidade.

História do Jardim Morada do Sol no Facebook

História do Jardim Morada do Sol no Facebook
Você tem histórias, memórias, fotos familiares, de negócios e outras fontes para colaborar com o projeto da História do Jardim Morada do Sol?

Lista Oficial de Heróis do Brasil

Os heróis e heroínas oficiais da História do Brasil estão com seus nomes gravados no “Livro dos Heróis e das heroínas da Pátria”, guardado no Panteão da Pátria Tancredo Neves, na Praça dos Três Poderes em Brasília. Quarenta brasileiros já tiveram seus nomes inscritos no livro, sendo apenas duas mulheres. Para que um novo nome seja incluído na lista Heróis da Pátria, o Senado e a Câmara dos Deputados precisam aprovar uma lei. Veja a seguir os nomes que estão inscritos no Livro dos Heróis e das Heroínas da Pátria, na ordem em que foram incluídos:

  • - Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes
  • - Zumbi dos Palmares, líder quilombola
  • - Marechal Deodoro da Fonseca, primeiro presidente do Brasil
  • - Dom Pedro I, imperador
  • - Duque de Caxias, comandante da Guerra do Paraguai
  • - José Plácido de Castro, líder da Revolução Acreana
  • - Marquês de Tamandaré, patrono da Marinha do Brasil
  • - Almirante Francisco Manoel Barroso da Silva, herói da Batalha do Riachuelo
  • - Alberto Santos Dumont, Pai da Aviação
  • - José Bonifácio de Andrada, Patrono da Independência
  • - Chico Mendes, ambientalista
  • - Joaquim da Silva Rabelo, o Frei Caneca, um dos líderes da Revolução Pernambucana de 1817
  • - Marechal Osório, herói da Guerra do Paraguai
  • - Ildefonso Pereira Correia, o Barão do Serro Azul, herói da Revolução Federalista
  • - Brigadeiro Antônio Sampaio, herói da Guerra do Paraguai
  • - Sepé Tiaraju, líder indígena nas Guerras Guaraníticas
  • - Anna Nery, enfermeira que atuou na Guerra do Paraguai
  • - Hipólito José da Costa, Patrono da Imprensa, fundou o primeiro jornal brasileiro
  • - Padre José de Anchieta, jesuíta que iniciou a catequização dos índios brasileiros
  • - Getúlio Vargas, presidente do Brasil
  • - João de Deus do Nascimento, Lucas Dantas de Amorim Torres, Manuel Faustino Santos Lira e Luís Gonzaga das Virges e Veiga, heróis da Revolta dos Búzios (ou Conjuração Baiana)
  • - Mário Martins de Almeida, Euclydes Bueno Miragaia, Dráusio Marcondes de Souza e Antônio Américo de Camargo Andrade, heróis paulistas da Revolução Constitucionalista de 1932
  • - Heitor Villa-Lobos, maestro e compositor
  • - Júlio César Ribeiro de Souza, pioneiro da dirigibilidade aérea
  • - Seringueiros Soldados da Borracha
  • - Domingos Martins, herói da Revolução Pernambucana de 1817
  • - Barão do Rio Branco, diplomata
  • - Padre Roberto Landell de Moura, pioneiro da radiotransmissão
  • - Anita Garibaldi, heroína da Guerra dos Farrapos
  • - Francisco Barreto de Menezes, João Fernandes Vieira, André Vidal de Negreiros, Henrique Dias, Antônio Filipe Camarão e Antônio Dias Cardoso, líderes da Insurreição Pernambucana de 1624-1654.

Seguidores