BEM-VINDO AO BLOG DE ELIANA BELO
Arquivo virtual de História, Memória e Patrimônio de Indaiatuba (SP) e região.*

Este blog só é viável com o auxílio de vários colaboradores; seja um também, divulgando seu (s) texto (s) ou imagem (ns).

CITE A FONTE ao fazer uso de textos ou imagens publicados neste blog; grande parte do material foi cedido generosamente por colaboradores.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Randolfo Moreira Fernandes


Por Randolfo (grafia atual, mas não original - que é Randolpho) Moreira Fernandes conhecemos a escola que formou muitos indaiatubanos, e também o prédio onde atualmente está o Centro Cultural Vanderley Peres, mesmo a Escola não estando mais ali. Mas a biografia daquele que é patrono da escola, poucos conhecem.

A História de Indaiatuba e de seus habitantes é um vasto campo de estudos onde a maior parte dos fatos e feitos ainda precisam ser pesquisados e divulgados. Dentro dessa seara e até onde se sabe atualmente, Randolpho foi o primeiro educador diplomado a lecionar em nosso município; todos antes dele eram leigos, que davam aulas sem o devido canudo, condição comum na época. Por esse fator de diferenciação, foi escolhido para ser o patrono do então imponente novo prédio do primeiro Grupo Escolar de nossa cidade, através de um decreto de 21 de abril de 1932.

Randolpho nasceu no Estado do Rio de Janeiro, no município de Barra Mansa no dia 23 de dezembro de 1856, filho do Capitão João Moreira Fernandes e de D. Cândida Rosa do Nascimento. Talvez por conta da vontade ou influência da família relativamente abastada, pensou em estudar medicina, mas logo percebeu que não tinha vocação para essa carreira e foi ingressar na tradicional Escola Militar, havendo sido Cadete do Império e até conquistando a amizade de D. Pedro II.

Ali também não encontrou vocação e após também tentar a carreira religiosa, decidiu mesmo foi ser professor. (Bom, talvez não tenha sido tantos fatores de indecisão, afinal - porque não? Quase todo professor querido é um pouco médico, um pouco militar, um pouco padre e um pouco de outras coisas também). O fato é que Randolpho fundou um colégio na cidade de Queluz, ainda no Estado do Rio de Janeiro.

Formou-se professor normalista com 19 anos pela Escola Normal Caetano de Campos, em SP. Logo em seguida veio para Indaiatuba, onde assumiu o cargo público de “Aferidor da Câmara Municipal”, sendo responsável pela conformidade de pesos e medidas do nosso município, uma espécie de INMETRO (em pessoa física) do século XIX . Também foi nomeado “professor das primeiras letras para o sexo masculino” na cadeira da então Vila de Indaiatuba.

Foi então que uma indaiatubana laçou de vez seu coração e com 28 anos - em 30 de agosto de 1884 - casou-se com ela: Vitalina Augusta de Cerqueira.

Randolpho Moreira Fernandes com sua esposa Vitalina Augusta de Cerqueira,
com o primeiro filho do casal, Benedito.

Cópia da fotografia original cedida para este blog por Felício A Pires Jr.



Além de lecionar em Indaiatuba, Randolpho professou sua sabedoria em outras cidades: Bragança, Bom Jesus do Buquira, Freguesia de Cruzeiro, Piracicaba, Sorocamirim, Cotia, Caçapava e finalmente Tremembé do Norte, onde faleceu com 49 anos, no dia 4 e outubro de 1905, sendo sepultado em São Paulo, capital.

Mestre Randolpho teve três filhos: Benedito Randolfo Fernandes, Cyrene da Conceição Fernandes e Deuzalina Fernandes.






Escola Randolfo Moreira Fernandes, em duas épocas.
Imagens cedidas por Antonio da Cunha Penna


A Escola Randolfo funcionou no prédio da praça D. Pedro II até o ano 2000, quando, mesmo sobre os protestos das principais partes interessadas, professores, funcionários, alunos matriculados e antigos e familiares foi compulsoriamente transferido para um prédio construído originalmente para ser uma maternidade, na rua Alberto Santos Dumont, onde já havia funcionado a Escola Hélio Cerqueira Leite e a FIEC. Ficou ali até 2006, quando novamente foi transferido, agora para o Jardim Alice, onde passou a partir de então por vários transtornos, desde disputa por demanda até problemas de infraestrutura.

Desde então a nova Escola Randolfo, luta no dia-a-dia arduamente para manter-se na história da nossa cidade como escola querida e reconhecida pela sua qualidade, para dignificar não só o patrono que lhe deu o nome, mas todos os mestres e alunos que por ali passam.

Já da antiga escola Randolfo que funcionava no prédio homônimo, restou uma praça.

Uma praça com um prédio.

Mas uma praça... Sem escola.


.....oooooOooooo.....

Nota: A professora Neuza Tomaz Rezende idealizou e produziu com alunos do novo Randolfo uma belíssima obra que aguarda patrocinadores para publicação em forma de livro.


Você tem imagens de outras escolas de Indaiatuba?
Compartilhe!
Este blog só é viável graças aos colaboradores da lista abaixo (rodapé da página).
Seja um deles também e zele pela história, memória e patrimônio de nossa Indaiatuba!

3 comentários:

  1. Uma professora e um professor criaram um hino para a nossa escola... alguém tem esse hino?
    Eu me recordo parcialmente da letra, se juntarmos e fizermos as correções talvez consigamos resgatá-lo...
    Era algo assim:

    Bem no centro da nossa cidade
    Foi criado esse templo de luz
    Nosso berço de amor e instrução
    Sob a égide da Santa Cruz

    E o Randolfo Moreira Fernandes
    Imponente com ar varonil
    Formador de grandes personagens
    Desse nosso querido Brasil

    Seus exemplos significantes
    Tocam fundo nossos corações
    Educar é também uma arte
    E a Glória de grandes campeões

    As crianças como andorinhas
    Embelezam essa escola queria
    E vão dando ao velho casarão
    Muito encanto, alegria e mais vida

    E a Escola querida por todos
    Continua por anos a fora
    Educando, dando ensinamentos
    Assim como ela faz agora...

    Seus exemplos significantes
    Tocam fundo nossos corações
    Educar é também uma arte
    E a Gloria de grandes campeões...

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

POSTAGENS MAIS PROCURADAS - Última semana

Entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

.

Indaiatuba - A cidade que tinha um urubu de estimação

Indaiatuba - A cidade que tinha um urubu de estimação
Ave silvestre foi domesticada e atualmente voa livremente pela cidade, pousando em logradouros públicos, tornando-se conhecida e querida pelos indaiatubanos. Ajude a preservar!

SEGUIDORES

Quantas pessoas precisam receber um órgão doado?

VISITANTES NO ÚLTIMO ANO