BEM-VINDO AO BLOG DE ELIANA BELO
Arquivo virtual de História, Memória e Patrimônio de Indaiatuba (SP) e região.*

Este blog só é viável com o auxílio de vários colaboradores; seja um também, divulgando seu (s) texto (s) ou imagem (ns).

CITE A FONTE ao fazer uso de textos ou imagens publicados neste blog; grande parte do material foi cedido generosamente por colaboradores.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Concurso Arquivo Público Municipal "Nilson Cardoso de Carvalho" - Participantes premiados


 1ºlugar - Juliana Maria Vizzoto Manoel / Colégio Santa Rita - um Tablet Galaxy Samsung


O estado de São Paulo é formado atualmente por 645 municípios, que entre eles podemos citar o município de Indaiatuba. Este remota as suas origens no século XII, uma região que era habitada por povos indígenas tupi-guaranis, que cultivavam palmeiras, batata-doce, mandioca, milho, amendoim, feijão entre outros. Ao longo dos anos essa região denominada Votura passou a crescer e se tornou a Indaiatuba que conhecemos nos dias de hoje. 
Será que um dia Indaiatuba se tornará uma grande metrópole? 
O que há de mais por trás de uma cidade que era conhecida como a terra das palmeiras?Existem duas versões principais a respeito da história da cidade, uma diz que Indaiatuba, inicialmente chamada Votura (à beira do rio Votura), era ponto de passagem de tropas constituídas no século XVIII. Em nove de dezembro de 1830, ela se tornou, por decreto do Imperador, sede de uma das Freguesias da Vila de Itu, ganhando autonomia política em relação a Itu e recebendo a denominação de Freguesia de Indaiatuba. Na época contava com uma população de 2026 habitantes, dos quais 142 moravam no centro da cidade. Já a outra afirma que os primeiros registros de um arraial chamado Indayatiba datam de 1768, cuja população cultivava milho e feijão. O nome vem dos extensos campos de palmeiras indaiá que existiam na região. Este povoado era também chamado de Cocaes. Em algumas décadas o povoado se expandiu, sendo criados inúmeros engenhos de açúcar e ao redor destes engenhos foi se expandindo também o comércio que servia àquela população. Em 1813 é construída uma capela por Pedro Gonçalves Meira, considerado o fundador da cidade. Esta capela, ampliada e reformada seria futuramente a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Candelária.
            De acordo com a história da cidade os principais patrimônios históricos são: o Casarão Pau Preto que foi construído nas terras vizinhas às da fazenda e engenho de açúcar da família Bicudo, provavelmente entre 1810 e 1820, no final do período colonial brasileiro; a Igreja Candelária que é considerada por muitos como sendo elemento primordial da cidade, pois o seu núcleo urbano teria se fixado e se desenvolvido em torno da mesma; a Estação Ferroviária foi um marco do final do século XIX, nos trilhos da estrada de ferro, Indaiatuba recebeu, a partir do final desse século, muitos imigrantes da Suíça, Alemanha, Itália, Espanha e, já no século XX, imigrantes do Japão. Esses homens e mulheres dedicaram-se principalmente à agricultura, mas também ao comércio, às oficinas e manufaturas; e por fim, podemos citar o Hospital Augusto de Oliveira Camargo, foi construído por iniciativa do casal Augusto de Oliveira Camargo e Leonor de Paula Leite Barros Camargo, e inaugurado em 1933. A fachada do hospital “olha” para a Matriz e vice-versa, e junto com seu grande parque compõe uma bela paisagem urbana. Quando foi feito, o hospital era muito superior, em tamanho, equipamentos e logística a todos os demais equipamentos urbanos da pequena cidade.
            Enfim, a cidade de Indaiatuba é um lugar com uma história muito interessante. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a cidade possui atualmente 231.033 habitantes. O aumento de 1,96% é no comparativo com 2014, ano em que a população era de 226.602 pessoas. Segundo a Prefeitura, o aumento apontado pelo Instituto é próximo da projeção realizada pela Secretaria do Governo, que faz um acompanhamento com base nos dados do Censo e havia calculado 231.623 pessoas. Conseguimos perceber assim que a cidade está em processo continuo de crescimento populacional. E dessa forma Indaiatuba poderá, sim, se tornar uma grande cidade futuramente. Contudo, não podemos deixar de lado o fato de que a nossa cidade deve crescer de uma maneira ideal, ou seja, é preciso que sejamos uma cidade com infraestrutura. Indaiatuba é sim uma das melhores cidades do país para se viver, no entanto, sabemos que é preciso fazer muito mais pela nossa cidade, e assim Indaiatuba será no futuro um lugar querido por todos, mais do que é hoje.


2ºlugar - Geovana Gomes Martinelli / Sesi Indaiatuba - um Tablet Multilaser

    O nome Indaiatuba é uma junção de dois termos da língua Tupi-guarani “indaiá” que designa uma qualidade de palmeira, e “tuba” que equivale a grande quantidade.
    Em 9 de dezembro de 1830, Indaiatuba tornou-se, por decreto do Imperador, sede de uma das freguesias da vila de Itu.
    Sua condição de Vila ocorreu em 24 de março de 1859, ganhando com isso, autonomia política, passando a ter sua própria Câmara de Vereadores.
    Na época do Império, a cidade passou a contar com um centro religioso, no Largo da Matriz (em 1830), uma das poucas igrejas sobreviventes no interior do Estado de São Paulo, construída em taipa de pilão.
    Um dos acontecimentos que marcou a cidade de Indaiatuba foi o ‘Crime do Poço’, envolvendo Domênico de Luca, um jovem imigrante italiano de 17 anos de idade que morava no Brás, em São Paulo, que trabalhava na âmbito comercial. Com o propósito de comprar cereais para o armazém do pai, viajou para o interior do Estado, e nunca mais voltou. Domênico  foi vitima de assassinato por três indivíduos gananciosos que cometeram o crime com o objetivo de roubá-lo.Isso ocorreu na tarde do dia 5 de dezembro de 1907, quando os criminosos, Adão, Antonio Nugnesi e Eugênio Cardinalli, o levaram para o interior de uma  casa  e então o mataram com pauladas na cabeça e facadas na garganta e em seguida jogaram o cadáver num velho poço no fundo do quintal da casa. Este crime teve uma repercussão muito grande, fazendo com que a morte do jovem permanecesse no imaginário da população Indaiatubana até os dias de hoje.
    A partir de 1940, observou-se crescimento significativo da cidade logo após a corrente migratória de japoneses. Nessa época a população era de 10 mil habitantes e depois de um tempo dobrou essa quantidade, passando a 20 mil habitantes. O aumento deveu-se ao número cada vez maior de trabalhadores nas plantações de algodão e tomate.
Atualmente Indaiatuba se encontra com mais de 200 mil habitantes. E é hoje um dos maiores pólos industriais da região de Campinas, tendo a seu favor uma excelente geografia com rotas alternativas que facilitam o transporte diário, bem como o acesso rápido ao transporte aeroviário, com o aeroporto internacional de Viracopos em nossa cidade vizinha de Campinas/SP.
  
3ºlugar -  Milena Yuka Kushihara / Colégio Projeção - um Tablet Multilaser

Indaiatuba cidade do interior de São Paulo, com quase 185 anos, e também com muitos acontecimentos. Seu nome vem da língua Tupi-Guarani, que significa muito indaiá (um tipo de palmeira carregada de pequenos cocos). Entre os séculos XVIII e XIX ela foi denominada por Cocais.
Não há registros dos primeiro povoados de Indaiatuba, alguns acreditam que eles moravam próximo da foz do córrego Barnabé (também chamado de Ribeirão Votura), mas outros acreditam que a cidade nasceu através de uma capela em devoção à Nossa Senhora da Candelária. Na época do Império, Indaiatuba era uma Vila de Itu, e após o decreto de 09 de dezembro de 1830, ela se tornou Freguesia da Vila de Itu. Em 1859 foi nomeada como Vila, e em comemoração aos 100 anos de Indaiatuba, Nabor Pires Camargo e Acrísio de Camargo compuseram o Hino Indaiatubano.
Indaiatuba recebeu vários imigrantes de diversos países, como a Alemanha, Suíça, Áustria, Itália, Espanha, Síria e da Líbia, e em seguida Indaiatuba foi marcada pela imigração do Japão, o que colaborou um aumento significativo na população indaiatubana. Na década de 1980 ocorreu um grande fluxo migratório vindo da região Norte do Estado do Paraná, o que também fez ocorrer o aumento na população.
Indaiatuba havia um projeto chamado PRIA, mas agora ele se tornou o Esporte Cidadão, ele é um projeto no qual oferece as pessoas diversas modalidades, gratuitamente.
A cidade possui muitas escolas públicas e particulares, e também possui faculdades e escolas de ensino técnico.
Atualmente Indaiatuba é uma cidade que tem pontos turísticos, como: o Parque Ecológico, o Casarão do Pau Preto (construção histórica da época de 1810-1820), Museu Ferroviário (museu feito em uma das estações ferroviárias), Igreja da Nossa Senhora Candelária, entre outras.
Nesses últimos anos Indaiatuba vem crescendo, em termos de habitantes, cada vez mais, Indaiatuba está ficando muito cheia. Ela é uma cidade muito boa de morar, por isso Indaiatuba foi premiada como a melhor cidade para se viver do Brasil.
 

Bruno Camargo Villaverde / E.E. Hélio Cerqueira Leite - menção honrosa


    Neste texto pretendo abordar a história de Indaiatuba desde seus primeiros povos até a grande cidade que se tornou em 185 anos.
    Um dos primeiros povos a habitar Indaiatuba foram os tupis-guaranis que cultivavam batata doce, mandioca, milho, amendoim, feijão, e palmeiras (que mais tarde iria dar o nome de Indaiatuba).
    Em 1813 foi erguida uma capela por Pedro Gonçalves Meira, considerado fundador da cidade por ter curado a famosa Igreja Matriz de Nossa Senhora de Candelária.
    Os documentos mais antigos da cidade a trata como Indayatiba, um bairro rural da vila Itu no ano de 1768. Indaiatuba  começou a crescer, somente após o governo de São Paulo incentivar a produção de açúcar para a exportação.
    No dia de 09 de dezembro de 1830, o governador decretou que Indaiatuba tornava-se sede de uma freguesia da Vila Itu, mas somente no dia 24 de março de 1859 ganhou o título de cidade e passou a ter sua própria Câmara de Vereadores.
    No começo do século XX a economia era dividida entre o cultivo do café e da batata e também pequena indústrias; em 50 anos a cidade pouco cresceu. Mas a partir do ano ano de 1950 até o ano de 1964 a cidade praticamente dobrou o numero habitantes, indo para  22 928. A partir de então, com a indústria continuando a se expandir, atingiu atualmente a marca de aproximadamente  231 033 habitantes.
   Em Indaiatuba já foi cultivado diversos tipos de plantas como por exemplo a cana de açúcar e o café no século XIX, o tomate, o algodão, a batata, e o café no século XX. Atualmente a uva é a maior produção agrícola do município com cerca de 620 hectares destinada para o seu plantio.

 Indaiatuba hoje em dia:


    Em quase 185 anos de historia, Indaiatuba tem IDH elevado e ganhou o título de melhor cidade do país para se viver em 2010. A cidade tem como principal produção agrícola a uva sendo o 6º maior produtor do Estado.
   A cidade também conserva varias propriedades históricas como o Casarão Pau-Preto,  a antiga Estação Ferroviária de Pimenta,  a antiga Estação Ferroviária Helvetia, a antiga sede da fazenda Engenho d' Água, Chafariz da Praça Elis Regina, a Igreja Matriz de Nossa Senhora de Candelária.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

POSTAGENS MAIS PROCURADAS - Última semana

Entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

.

Indaiatuba - A cidade que tinha um urubu de estimação

Indaiatuba - A cidade que tinha um urubu de estimação
Ave silvestre foi domesticada e atualmente voa livremente pela cidade, pousando em logradouros públicos, tornando-se conhecida e querida pelos indaiatubanos. Ajude a preservar!

SEGUIDORES