BEM-VINDO AO BLOG DE ELIANA BELO
Arquivo virtual de História, Memória e Patrimônio de Indaiatuba (SP) e região.*

Este blog só é viável com o auxílio de vários colaboradores; seja um também, divulgando seu (s) texto (s) ou imagem (ns).

CITE A FONTE ao fazer uso de textos ou imagens publicados neste blog; grande parte do material foi cedido generosamente por colaboradores.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

A estrada velha Campinas - São Paulo



A chamada Estrada Velha de Campinas (atualmente SP-332) é uma rodovia do estado de São Paulo idealizada por Washington Luís, que foi presidente de São Paulo de 1920 a 1924, construída em grande parte com a utilização de mão de obra de presidiários, com base em uma lei que ele mesmo conseguira aprovação enquanto deputado estadual, em 1913.

Uma "excursão presidencial" para inspecionar os trabalhos que estavam sendo feitos nessa estrada de rodagem registrou as fantásticas imagens abaixo cujo crédito foi dado para certo Sr. Eduardo Dale, que fazia parte da comitiva, e que foram publicadas na revista "A VIDA MODERNA" (1):


Início da Estrada na Avenida Speers


Movimento de terra junto à grande ponte metálica



Veículos puxados por animais adestrados (sem condutores)

Presidiários no serviço
história das estradas nohstória das estradas em Sâo Paulo
 Brasil

Uma das pontes "quase terminada"

história das antigas estradas
Transportando bueiros de ferro


Trator Fordson com o respectivo rolo


Os excursionistas avaliando um dos trechos da estrada 


 Operários civis em atividade



Aterro na Serra dos Cristais (Jundiaí)
   
Ponte em construção na Serra D´Água



 Vista de alguns quilômetros da estrada observados da Serra dos Cristais

A comitiva inspecionou as obras em um sábado, e fizeram parte dela: Washington Luís, Heitor Penteado (Secretário  da Agricultura), Alfredo Braga (diretor de Obras Públicas), Thimoteo Penteado, chefe do 1o. distrito da mesa diretoria e Eduardo Dale, secretário geral da A. P. de estradas e rodagem (que fotografou).


As oito horas e 15 minutos saíram do Palácio dos Campos Elyseos em direção à Perdizes, entrando às oito e meia na Avenida Speers, pela passagem inferior da Sorocabana, onde tinha início a "grande estrada estadual". Poucos minutos depois chegaram à grande ponte metálica sobre o Rio Tietê,  na ocasião "completamente terminada" e sobre a qual passam dezenas de pequenas carroças transportando terra para a construção de um pequeno trecho.

A estrada mantinha em toda a sua extensão de 108 quilômetros uma largura mínima de outro metros e uma rampa máxima de oito por cento. 62,800 quilômetros eram de São Paulo até Jundiaí e 45,200 quilômetros eram de Jundiaí até Campinas. A comitiva divulgou que a inauguração deveria ser no "próximo dia 1o. de Maio" e, quando terminadas as obras, o trecho todo poderia ser feito com duas horas e 30 minutos.

Os excursionistas almoçaram no Bosque dos Jequitibás e, antes de retornarem para São Paulo, passou por Indaiatuba, Itu, Cabreúva, Pirapora, Parnahyba, Baruery, Osasco e Pinheiros, tendo demorado 9 horas esse trajeto de volta.

O motivo foi que, após passarem por Indaiatuba, "duas grossas pancadas de chuva atrasou os automóveis".


.....oooooOooooo.....

(1) Edição de 17 de março de 1921- Hemeroteca da Biblioteca Nacional

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

POSTAGENS MAIS PROCURADAS - Última semana

Entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

.

Indaiatuba - A cidade que tinha um urubu de estimação

Indaiatuba - A cidade que tinha um urubu de estimação
Ave silvestre foi domesticada e atualmente voa livremente pela cidade, pousando em logradouros públicos, tornando-se conhecida e querida pelos indaiatubanos. Ajude a preservar!

SEGUIDORES

Quantas pessoas precisam receber um órgão doado?

VISITANTES NO ÚLTIMO ANO