BEM-VINDO AO BLOG DE ELIANA BELO
Arquivo virtual de História, Memória e Patrimônio de Indaiatuba (SP) e região.*

Este blog só é viável com o auxílio de vários colaboradores; seja um também, divulgando seu (s) texto (s) ou imagem (ns).

CITE A FONTE ao fazer uso de textos ou imagens publicados neste blog; grande parte do material foi cedido generosamente por colaboradores.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Historiadora de Indaiatuba lançará livro

A historiadora e pedagoga Silvane Rodrigues Leite Alves, lançará brevemente o livro "História e Cotidiano na Formação Docente: Desafios da Prática Pedagógica".

Silvane (40), mãe de João Pedro (13)  e Fábio Henrique (9), é funcionária pública do nosso município, onde leciona  no EF I. Trabalha também na rede particular de ensino, além de ser  Tutora de EAD na graduação de Pedagogia da FACINTER - Pólo de Indaiatuba/SP.  É Mestre em Educação, na área de História, Filosofia e Educação pela FE - UNICAMP (2007), onde desenvolveu pesquisa sobre a instituição dos grupos escolares no Brasil, mais especificamente no interior do estado de São Paulo, no período de 1854 a 1930. (Para ler essa tese, que fala muito sobre Indaiatuba, clique aqui.)

De 1994 até 2003, Silvane foi funcionária da Fundação Pró-Memória de Indaiatua/Arquivo Publico Municipal, onde desenvolveu, entre outros trabalhos como arquivista, vários materiais de divulgação de nossa História, estando sempre comprometida com a divulgação do acervo, da nossa história, de nossa memória.

Leia  o texto que será a introdução da obra literária de Silvane:

Este livro foi concebido e gerado para servir de suporte para os futuros educadores brasileiros, que desejam atuar de forma significativa na vida de seus alunos.

Ele busca apresentar de maneira pratica a postura ideal do profissional da educação, que lida com seres humanos distintos e ávidos pelo conhecimento. Estimula a busca por estratégias eficazes de ensino, exemplificando dia-a-dia de educadores que apesar das deficiências – culturais, sociais, econômicas – estão atuando diariamente, tendo por objetivo formar pessoas preparadas para o exercício da cidadania, críticos e conscientes, bem como, sabedores da importância da sua própria formação continuada e do exercício da leitura.
O leitor dessa obra é entendido como o futuro professor que reflete sobre sua formação, conhece as implicações que a profissão tem, porém não desanima, mobiliza-se através de ações efetivas pela concretização do processo educativo, buscando a competência e a qualidade do trabalho, consciente da importância dessa tarefa na sua realização pessoal e na vida de seus alunos.

É nosso objetivo que esta obra seja útil às pessoas comprometidas com o ato gratificante de formar, informar, transmitir saberes, lições e principalmente afeto. Esperamos contribuir com a formação desse profissional engajado, determinado e convicto da sua importância, ciente de que é pela educação, que poderemos construir um mundo melhor, mais humano e digno.
Que seja essa a consciência de todos nós, companheiros de jornadas, professores e educadores, que fazem parte desse grande teatro real que é a escola.

A obra está estruturada em quatro capítulos de reflexão continuada, mas tem a prática como meta, trazendo exemplos de atitudes e atividades que possam colaborar para o objetivo principal, ou seja, levar os educadores a compreenderem suas deficiências e estimular a busca por um bom desempenho discente.

No primeiro capítulo, intitulado “A história da educação brasileira: aspectos relevantes para a formação docente”, procuramos analisar de maneira sucinta, a legislação educacional brasileira no tocante à educação, priorizando o período de maior efervescência em prol da educação popular, a saber, o final do Império até o início do Século XX. Acreditamos que as bases da escola no Brasil foram estabelecidas no período compreendido entre o final do Império e a implantação do regime republicano. Tal constatação baseou-se na análise dos discursos e das práticas dos políticos republicanos em prol escolarização. Sabedores de que “... é pela lei que se pretende elevar o país ao nível do século. Isto é, enquadrá-lo nos moldes da “nação fonte da civilização” e ainda, “[...] é pela lei que a renovação tentará se impor, quando as correntes renovadoras possuem poder político para dominar, os corpos legislativos”. (Reis Filho, 1998).

No segundo capítulo, intitulado “Herança educacional brasileira no século XX”, procuramos realizar um balanço da história recente da educação no Brasil. Algumas questões, como a feminização do magistério, a criação dos grupos escolares, foram abordadas para proporcionar ao leitor a idéia de que alguns projetos deste último século continuam inacabados, e outros, apesar da grandiosidade, foram esquecidos na burocracia.
No terceiro capítulo, intitulado, “Princípios pedagógicos do currículo de formação docente”, procuramos, através de diversos autores contemporâneos, relacionar os princípios pedagógicos que devem nortear a formação dos professores, com o objetivo de quebrar essa cadeia de má formação existente, mostrando que há profissionais que se destacam apesar das deficiências, e que isso ocorre, pois há um envolvimento genuíno com a melhoria da qualidade.
Por fim, no quarto e último capítulo, intitulado “Práticas educativas e sua importância no processo ensino-aprendizagem”, procuramos abordar algumas práticas educativas aplicadas com sucesso por profissionais da educação, e que podem contribuir para o objetivo maior desta obra, que é, a busca pela excelência na formação dos educadores, levando-os a adotarem a postura do professor responsável pela condução, estímulo e participação na sua formação, bem como na formação intelectual de milhares de alunos, influenciando muito mais com sua maneira de agir do que com os conteúdos que explica.

 
Silvane, boa sorte!
Meu sincero reconhecimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

POSTAGENS MAIS PROCURADAS - Última semana

Entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

.

Indaiatuba - A cidade que tinha um urubu de estimação

Indaiatuba - A cidade que tinha um urubu de estimação
Ave silvestre foi domesticada e atualmente voa livremente pela cidade, pousando em logradouros públicos, tornando-se conhecida e querida pelos indaiatubanos. Ajude a preservar!

SEGUIDORES