BEM-VINDO AO BLOG DE ELIANA BELO
Arquivo virtual de História, Memória e Patrimônio de Indaiatuba (SP) e região.*

Este blog só é viável com o auxílio de vários colaboradores; seja um também, divulgando seu (s) texto (s) ou imagem (ns).

CITE A FONTE ao fazer uso de textos ou imagens publicados neste blog; grande parte do material foi cedido generosamente por colaboradores.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

2010: Paróquia Nossa Senhora da Candelária fará 180 anos

fragmento do texto de Marcos Kimura
publicado originalmente no Jornal Tribuna de Indaiá de 12/01/2010

[...]

Este ano [será comemorado] os 180 anos da criação da Paróquia, simultaneamente à da fundação da Freguesia de Indaiatuba, data adotada pelo Município para comemorar seu aniversário.

A origem da cidade está intimamente ligada a do que inicialmente foi uma capela. A origem lendária diz respeito a um certo José da Costa, que nos fins do século XVIII ao procurar uma vaca perdida acabou encontrando uma imagem de Nossa Senhora da Candelária em um riacho e, a partir desse acontecimento, teria decidido erguer ali uma capela dedicada à santa.  [Já a origem documentada, comprovada por registros] [...] indicam que em 1813 o tenente Pedro Gonçalves Meira solicitou a instalação de uma capela chamada Nossa Senhora da Conceição dos Cocaes, para cujo sustento ele doava algumas propriedades suas. [...] Após a morte de Meira, seu irmão e herdeiro, Joaquim Gonçalves Bicudo, passou a dedicar a capela a Nossa Senhora da Candelária.

Ainda segundo Carvalho, em sua Cronologia Indaiatubana, há registro que em 1819 a Capella do Santíssimo Coração de Maria Santíssima já era curada, ou seja, tinha caráter permanente e nela eram realizadas celebrações regulares, com um capelão designado pelo bispo. A existência de uma capela curada era condição primordial para a instalação de uma freguesia, o que de fato aconteceu em 1830 com Indaiatuba, Cabreúva, Rio Claro, Tatuí, Itatiba, Silveiras e Hyporanga, por meio de decreto imperial que atendia a uma resolução do Conselho Geral da Província de São Paulo. Lembrando que até a Proclamação da República não havia separação entre Estado e Igreja. O primeiro vigário era o padre Ignácio Francisco de Moraes.

Em 1838, a Câmara de Itu aprovou lei proibindo o “enterramento de corpos dentro dos recintos dos templos”. Na época, pessoas importantes eram sepultadas dentro das igrejas e os demais nos pátios em frente. Assim, no ano seguinte, o bispo dom Manoel Joaquim Gonçalves concede ao vigário da Igreja da Freguesia de Indaiatuba a permissão para benzer um cemitério, o de São Benedito, construído 220 metros ao norte [?] da Matriz.

Em 1855 é instalada em Itu a Sexta Câmara Eclesiástica, abrangendo as paróquias de Cabreúva, Capivari, Capivari de Cima (Monte Mor), Indaiatuba, Porto Feliz, Pirapora, Araçariguama e Santa Bárbara. Quatro anos depois, as freguesias de Cabreúva e Indaiatuba são elevadas a categoria de vila pelo mesmo decreto.

Em 1914, já em pleno século XX, foi criada a Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, em Helvetia, e encomendada a construção da Casa Paroquial da Candelária. Em 1915, foram construídas as torres da Igreja Matriz, às expensas de João Bueno de Camargo, um indaiatubano muito rico e que passava uns dias em sua terra natal, a quem o padre da época solicitou uma ajuda nas melhorias do prédio.

Em 1919, o padre Eduardo Pais Moreira “mandou fazer uma grande reforma na capela-mor, tirando todo o assoalho e degraus de tábuas velhas, trocando-os por degraus de mármore de carrara e por mosaicos de diversas cores feitos em São Paulo”.

Uma reunião realizada em 2 de julho de 1923, na sala nobre da matriz, designou uma comissão para tratar da reforma externa da matriz. Em 1929, Jesuíno da Fonseca Leite faleceu em São Paulo e deixou sete contos de réis para serem aplicados em reformas e consertos da Igreja Matriz de Indaiatuba.

Em 1967, chega à cidade o padre Hermínio Bernasconi, nomeado vigário da Paróquia de Nossa Senhora de Indaiatuba, onde ficou até 1970. Durante sua estada, realizou diversas reformas radicais na igreja – inspiradas no Concílio Vaticano II, do Papa João XXIII - despojando-as de seus altares laterais e removendo do altar-mor o famoso trabalho em madeira executado pelo escultor Monsieur Bernard. Antonio da Cunha Penna se recorda que muitos santos foram “despejados” do templo, sendo que até há pouco tempo ele ainda abrigava alguns deles em sua casa. Ainda em 1967, foi criada a Paróquia Santa Terezinha, em Itaici.

Em 1990, a Tribuna de Indaiá informava que o leilão da Festa da Padroeira daquele ano havia rendido 100 mil cruzeiros que, junto com o lucro da quermesse, seriam usados na reforma da Matriz, que envolvia pintura externa e troca de telhas e do forro.

O prédio da Igreja de Nossa Senhora da Candelária é um dos últimos existentes construído em taipa-de-pilão [veja aqui o que é taipa-de-pilão]. Este era o sistema construtivo dominante no planalto paulista até fins do século XIX e consistia em socar camadas de terra úmida entre formas de madeira (os taipas).

Nada se sabe com precisão sobre o início da sua construção, mas é com certeza que em 1839 já apresentava as paredes de taipa-de-pilão. Diversas alterações importantes aconteceram na Matriz em seus quase 200 anos de existência. Nada restou dos seus três retábulos artísticos, altares antigos, arco-cruzeiro, assoalho de tábuas nem do seu forro pintado, cujo único registro é uma foto colorida desfocada.


.....oooooOooooo.....

Nota: A imagem deste post foi capturada no site da Matriz Nossa Senhora da Candelária

3 comentários:

  1. Tipo de Registro e Anos https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-13727-3041-10…
    Batismos 1830, Fev-1848, maioBatismos 1848, Nov-1862, SetBatismos 1861, Jun-1880, OutBatismos 1868, Mar-1884, JunBatismos 1871, Nov-1903, NovBatismos 1875, Jun-1885, JulBatismos 1885, Nov-1889, SetBatismos 1889, Set-1892, NovBatismos 1892, Nov-1894, DezBatismos 1903, Nov-1910, OutBatismos 1910, Out-1912, JunBatismos 1912, Jun-1914, NovBatismos 1914, Nov-1916, MarBatismos 1916, Fev-1917, MaioMatrimônios 1832, Ago-1864, FevMatrimônios 1864, Abr-1885, DezMatrimônios 1886, Jan-1892, DezMatrimônios 1892, Dez-1900, DezMatrimônios 1900, Dez-1912, SetMatrimônios 1912, Set-1916, SetÓbitos 1832, Ago-1860, JulÓbitos 1860, Ago-1876, AgoÓbitos 1872, Set-1920, JulÓbitos 1876, Ago-1894, Jun

    ResponderExcluir
  2. https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-13727-3041-10?cc=2177299&wc=M5N1-FMW%3A371871401%2C371871402%2C372121301#uri=https%3A%2F%2Ffamilysearch.org%2Frecapi%2Fsord%2Fwaypoint%2FM5J5-6TL%3A371869201%2C371872702%3Fcc%3D2177299Tipo de Registro e Anos

    Batismos 1827, Maio-1851, Dez

    ResponderExcluir
  3. Caro Osvaldo Augusto, Obrigada por compartilhar os links de sua pesquisa! Abraço!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

POSTAGENS MAIS PROCURADAS - Última semana

Entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

.

VISITANTES NO ÚLTIMO ANO

Indaiatuba - A cidade que tinha um urubu de estimação

Indaiatuba - A cidade que tinha um urubu de estimação
Ave silvestre foi domesticada e atualmente voa livremente pela cidade, pousando em logradouros públicos, tornando-se conhecida e querida pelos indaiatubanos. Ajude a preservar!

SEGUIDORES