BEM-VINDO AO BLOG DE ELIANA BELO
Arquivo virtual de História, Memória e Patrimônio de Indaiatuba (SP) e região.*

Este blog só é viável com o auxílio de vários colaboradores; seja um também, divulgando seu (s) texto (s) ou imagem (ns).

CITE A FONTE ao fazer uso de textos ou imagens publicados neste blog; grande parte do material foi cedido generosamente por colaboradores.

sexta-feira, 20 de março de 2009

O SAAE e o Dia Mundial da Água

  1. A água é um recurso renovável ou não-renovável? Se renovável, por que tanto alarde? Se não-renovável, significa que, se é a mesma a quantidade de água desde que o mundo é mundo, pode ser – portanto - que uma gota do xixi do faraó Menés (quase 3000 a.C) pode estar contida no copo de água que eu bebi em jejum hoje de manhã para emagrecer (ô ilusão!)?
  2. A água é inorodora, incolor e insípida! Isso é verdade ou lenda urbana? Afinal, alguém já bebeu uma água sem gosto e sem cheiro?
  3. Porque é que eu, pagadora assídua e pontual dos meus impostos, tenho que deixar de lavar minha calçada com a mangueira servindo de “vassoura hidráulica” se é do poder público a responsabilidade pela captação e tratamento da água?
  4. Chegará o dia em que a humanidade achará um ponto de equilíbrio entre a necessidade de crescimento econômico e a contraditória necessidade de contenção do uso dos recursos hídricos?
Utilizo inicialmente essas perguntas esquisitas que até parecem caricaturas desenhadas com letras, para louvar o SAAE de Indaiatuba por mais uma ação de educação ambiental, e porque não dizer histórica (ôba!), publicando o folheto com informações sobre o Córrego do Barnabé.

O folheto faz parte do conjunto de ações do SAAE em alusão ao Dia Mundial da Água, 23 de março. Educar e conscientizar sobre o que é a água e seu uso correto neste início do século XXI é um desafio enorme e inadiável, basta ver o incômodo que as perguntas acima (ou melhor, as respostas) causam em todos nós.


E neste sentido o SAAE já havia lançado outros encartes, entre eles um livrinho muito legal, denominado “A Nascente do Córrego Municipal”, com pesquisa feita e apresentada por Adriana Carvalho Koyama (1), em texto claro, enriquecido com imagens preciosíssimas, que foram desde desenhos do pesquisador Nilson Cardoso de Carvalho até fotos históricas de torneiras públicas e mapas da primeira obra de engenharia sanitária de Indaiatuba.

Mas essa publicação sobre o Córrego do Barnabé é inovadora, pois pode trazer mais subsídios para esclarecer o real significado sobre a famosa e enigmática palavra “Votura”. Até a publicação do encarte, o Córrego do Barnabé era(?) aquele que atravessava o Parque Ecológico, aquele mesmo... que era estreitinho e ficou grandão com a urbanização do seu entorno e tinha sua nascente perto de onde é o Corpo de Bombeiros. Mas com novas pesquisas feitas pelo SAAE e considerando critérios corretos para se definir onde exatamente está a nascente do córrego que leva o nome de tradicional família indaiatubana, descobriu-se que... (tcham, tcham, tcham, tchaaaammmm) o Córrego do Barnabé não é bem aquilo que pensávamos! Ou pelo menos não nasce onde quase todo mundo achava que nascia!

Na verdade... ele é o tal "Ribeirão Votura", ou seja é o mesmo que aparece em várias referências sobre o "início" de Indaiatuba, com a nascente no Bairro do Mato Dentro.

Para saber mais... veja o encarte, que mostra claramente onde ele nasce - na Lagoa Preta no Bairro Mato Dentro - até onde deságua em sua foz no Rio Jundiaí, no Bairro do Caldeira.
-----oooooOoooo-----
Para saber mais:
(1) KOYAMA, Adriana Carvalho. A Nascente do Córrego Barnabé, publicação do SAAE – Serviço Autônomo de Água e Esgotos e Prefeitura Municipal de Indaiatuba, sem data. (2) http://conversadebotequimonline.blogspot.com/2009/03/o-corrrego-que-nao-era.html (3) http://www.saae.sp.gov.br/

Nota 1:
Outra ação do SAAE foi aparesentar (ontem, entre 9:00 e 10:30) o seu Laboratório Móvel de Análises, mais uma ação digna de parabenização por parte da população. Agora está faltando mesmo é dar garantia da gestão e da qualidade dos resultados do seu laboratório com a obtenção da certificação NBR ISO IEC 17025. Com certeza a população dormirá, ou melhor, beberá mais tranquila após esta acreditação do INMETRO. Pelas ações vistas até agora do Alexandre Peres e da sua equipe, creio que não vai demorar. Aguardemos.

Nota 2: (acrescentada em 22 de abril de 2009).
Abaixo, cópia da carta que eu recebi do SAAE sobre a impressão do folheto sobre o Córrego do Barnabé.

Um comentário:

  1. Êta menina danada vc é!
    Todos os seus posts são muito interessantes!
    Bjs amiga querida
    Estou com muita vontade de me encontrar com vc!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

POSTAGENS MAIS PROCURADAS - Última semana

Entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

.

VISITANTES NO ÚLTIMO ANO

Indaiatuba - A cidade que tinha um urubu de estimação

Indaiatuba - A cidade que tinha um urubu de estimação
Ave silvestre foi domesticada e atualmente voa livremente pela cidade, pousando em logradouros públicos, tornando-se conhecida e querida pelos indaiatubanos. Ajude a preservar!

SEGUIDORES