BEM-VINDO AO BLOG DE ELIANA BELO
Arquivo virtual de História, Memória e Patrimônio de Indaiatuba (SP) e região.*

Este blog só é viável com o auxílio de vários colaboradores; seja um também, divulgando seu (s) texto (s) ou imagem (ns).

CITE A FONTE ao fazer uso de textos ou imagens publicados neste blog; grande parte do material foi cedido generosamente por colaboradores.

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Carnaval - O Bloco Galo Carijó em 1936

No livro "Um Olhar Sobre Indaiatuba" (1), D. Sylvia Teixeira de Camargo Sannazzaro (in memorian) conta como organizou o bloco carnavalesco indaiatubano "Galo Carijó" no ano de 1936.


"Eu, Sylvia Teixeira de Camargo, ainda solteira, organizei um grupo carnavalesco...
que desfilaria pela rua da cidade ... [ uma vez que em Indaiatuba]...
não havia clube social, dançando e cantando a música do título".


Narra ainda que o bloco ensaiou a evolução no quintal da casa dela e escolheu um tecido xadrez "- inovação na época" para fazer a fantasia. Para representar o mascote do animado grupo, foi escolhido nada mais, nada menos do que uma alegoria feita de papel em alusão ao próprio homenageado Galo Carijó, personagem da música homônima de Lamartine Babo, que fez muito sucesso naquele ano e foi cantada em dez entre dez bailes de carnaval desse sexto ano da década de 30:


Có Có Có Có Có Coró
Có Có Có Có Có Coró
O galo tem saudades
Da galinha Carijó
O galo de noite cantou
Todo mundo acordou
Pra ver o que aconteceu
Nervosa, a galinha respondeu
Có Có Có Có Coró
Có Có Có Có Coró
Hoje o galo sou eu.

Na primeira fila da foto, ao alto:

1- Rubens Costa
2- Osvaldo Groff (Camarão)
3- Ary Valente
4- Lauro Steffen
5- Mauro Lyra
6- Sarah Nicolau
7- Raul Estevam
8- Julia Augusta Steffen
9- Ida Tomasi
12- Gizelda Lyra
13- Humberto Lyra Filho
14- Maria Vitória (Glória) Lyra
15- Helena Tomasi
16- Maria de Lourdes Lyra


A fotografia da imagem, feita por Valdemar Pedroso, único fotógrafo profissional da época - nos mostra o tipo de fantasia que se usava. Pela ingênua marchinha, que até hoje se toca, pelo cuidado que foi dado à apresentação - houve até ensaio (!), pela modernidade aplicada nas listras do tecido, e por outros motivos que ao olhar na foto podemos perceber e imaginar, é possível entender o sucesso que esses jovens da sociedade indaiatubana fizeram na época, "pedindo passagem" para dançar na praça, provavelmente girando em volta da Cadeia/Prefeitura (atual D. Pedro II) até os pés ficarem cheios de pó.


Creio que por esses e outros motivos podemos compreender porque o "Carnaval das Marchinhas" idealizado pelo meu amigo Antonio da Cunha Penna faz tanto sucesso, atualmente, no Indaiatuba Clube! E também termos a certeza que SAUDADE é um termo sempre atual.


-----oooooOooooo-----


(1) Leia mais sobre o Bloco Carijó e outros fatos de Indaiatuba no livro "Um Olhar Sobre Indaiatuba" editado pela Fundação Pró-Memória de Indaiatuba em 2006. O livro também tem uma segunda edição, lançado em dezembro de 2008.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

POSTAGENS MAIS PROCURADAS - Última semana

Entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

.

Indaiatuba - A cidade que tinha um urubu de estimação

Indaiatuba - A cidade que tinha um urubu de estimação
Ave silvestre foi domesticada e atualmente voa livremente pela cidade, pousando em logradouros públicos, tornando-se conhecida e querida pelos indaiatubanos. Ajude a preservar!

SEGUIDORES